Historia da Perfumaria Brasileira do Século XX


O crescimento da perfumaria no Brasil está muito relacionado ao crescimento da indústria de higiene pessoal e às influências europeias e americanas com seus perfumes importados e seus hábitos fragrantes do século XIX e século XX.
Os primeiros produtos locais e perfumados eram para cuidados pessoais e, além disso, nesses períodos de urbanização, medidas de saneamento básico foram tomadas para conter a proliferação de doenças. Era natural que houvesse um movimento de melhores cuidados com o corpo como banhos mais constantes e a criação de casas de banhos no RJ, por exemplo, que já relacionavam a prática ao asseio e ao prazer de estar limpo e cheiroso.
Após o período do império no qual, raras mulheres, mais elitizadas, usavam perfumes importados, em sua maioria francesa, os produtos locais começavam a ser desenvolvidos através de empreendedores europeus que se alojavam no Rio de Janeiro e São Paulo e estavam atentos ao mercado. Com a abolição da Escravatura, houve uma diversificação da mão de obra com a imigração europeia e o crescimento das populações burguesas e proletárias. As importações sofreram baixas em virtude de políticas aduaneiras e a industrialização local foi incentivada, criando um espaço potencialmente produtivo para investir no setor.

Em sua maioria, os primeiros produtos perfumados na produção local eram águas de colônia, talcos, loções e sabonetes, de renomadas e tradicionais marcas como Granado e Gessy Lever (atual Unilever), Phebo e Myrta. A aplicação de fragrâncias a produtos, normalmente, seguia a boa prática europeia e seus famosos sabonetes Franceses e Ingleses, como o Pear’s Soap e águas de colônias Italianas, país que tinha um clima tão caloroso e revigorante como o do Brasil. O sabonete era um produto desejado e essencial, fabricado para ser tão bom quanto o estrangeiro e cultuado na propaganda da época, com rostos sorridentes que pareciam exalar uma agradável fragrância. O interessante nessa evolução é que produtos como sabonete e desodorante, assim como loções, pó de arroz e brilhantina para os cabelos eram produtos perfumados que chegavam a substituir o próprio frasco de perfume. Usar um bom produto de higiene pessoal era uma maneira de aumentar a autoconfiança e o bem-estar, de estar socialmente impecável e, portanto, ser bem aceito no convívio cotidiano e, potencialmente, conquistar uma melhor aceitação e ascensão sociais.

Nessa jornada de fomento da perfumaria no Brasil, a fabricação era artesanal e inspirada pelas Boticas e farmácias que já eram uma prática na Itália, um dos países com mais imigrantes no Brasil. As colônias eram refrescantes, como a Lavanda Phebo criada pela farmácia Granado, a Água de Hungria, criada pela Perfumaria Kanitz, de origem Húngara e a Água de Colônia Parisiana, da Perfumaria Myrta, a Água de Cheiro da Gessy, a maioria tendo surgido nas décadas de 30 e 40. Nos anos 30, havia um boom de produtos multifuncionais que existem até hoje que limpam e perfumam, como o Leite de Colônia e o Leite de Rosas. A produção de sabonetes seguia o mesmo modelo artesanal, da prensa a embalagem e eram muito valorizados e famosos na sociedade da época, como o sabonete Gessy, criado pela José Milani & Cia, que em 1960 se uniria a Lever, empresa inglesa que já produzia o icônico sabonete Lux, formando o império Gessy Lever. A Gessy também exportava o sabonete inglês Sunlight, a Granado fabricava o seu tradicional sabonete glicerinado, um clássico até hoje, e a Myrta lançou o popular Eucalol, feito à base de eucalipto e amplamente divulgado na publicidade da época.

Nas primeiras décadas do século XX, uma minoria endinheirada da sociedade se renderia à inovação europeia de novos lançamentos de perfumes, de renomadas marcas que uniam a perfumaria e a moda, como Chanel, Guerlain e Coty, respectivamente, com clássicos como nº 5, Shalimar e Joy, fragrâncias que criavam uma nova identidade para a mulher emancipada: elegante, independente, de personalidade, bela e perfumada. Ainda nos anos 30 e 40, com a Era do Rádio e a época de Ouro do Cinema inspirariam as mulheres a cuidar da autoestima, serem mais bonitas e sedutoras como as Divas da Sétima Arte com perfumes menos clássicos florais e mais orientais e chypres, assim surgiriam perfumes importados mais sedutores, impregnados de uma personificação dual para mulheres fatais como Tabu (Dana), Femme (Rochas) e Bandit (Robert Piguet), assim como empresas de beleza como Lâncome, Helena Rubinstein e Elizabeth Arden se instalariam no Brasil, alinhando conceitos internacionais de beleza feminina. 

Vale ressaltar que, mesmo com a segunda guerra mundial e o clima de tensão mundial, havia um esforço de se manter a beleza e a autoestima, principalmente pelas mulheres. Nessa época, a linha Cashmere Bouquet fez um grande sucesso, assim como a Seiva de Alfazema, lançada em 1943, uma lavanda clássica e que influenciaria o gosto pelas refrescantes fragrâncias aromáticas alavandadas que funcionam bem no clima do país, com outras mais como a Menphis e a Herbíssimo Alfazema. Os perfumes importados ainda seriam para poucos, mas já provocariam o desejo pelo consumo de prestígio. Nos anos 50 surgiriam perfumes clássicos como as fragrâncias Atkinsons, Phebo e Tabu, alcançado grande projeção no cenário de consumo em perfumaria. Empresas como a Johnson & Johnson, Colgate, L’oréal, Coty, Avon e Christian Gray se instalariam entre os anos 30 e 60, contribuindo para o avanço da perfumaria e da aplicação de fragrâncias em produtos de cosmética e perfumaria e surgiriam as casas de fragrâncias como a Givaudan, IFF e Firmenich.

Dentre as citadas, a Avon, que chegou ao Brasil em 1959 e instalaria sua fábrica em 1970, dando um rumo revolucionário à indústria de cosméticos e perfumes no país ao lançar seu sistema de vendas diretas, colocando a mulher ativamente no mercado de trabalho e inspirando o empreendedorismo e a independência no setor, além de lançar, nos primeiros anos sucessos como Toque de Amor e Topaze. No mais, as famílias Brasileiras começavam a crescer a partir dos anos 70, após a ditatura e com os ideais hedonistas da liberdade e do amor. Com elas, o mercado começava a absorver o cheirinho de bebê em produtos de multinacionais como a Johnson e Johnson, a Kimberly-Clark, Procter & Gamble, clássicos mais regionais fariam sucesso como o Wild Musk da Coty e o Lancaster Argentino da Niasi, ambos de 1973, e fragrâncias femininas icônicas como Chanel nº 19 e Yves Saint Laurent Opium enfatizariam o poder da feminilidade, da elegância, do mistério e da sensualidade de toda mulher e gigantes da indústria como Natura e Boticário iniciavam suas operações com o espírito visionário de seus fundadores.

Meninas eu adorei conhecer um pouco mais da história da perfumaria no Brasil, próxima semana tem mais, dessa vez a historia moderna...

Fonte: Enciclopédia do perfume: http://www.osmoz.com.br

33 comentários:

  1. Menina essas marcas que gostamos tanto são tão antigas né!adoro alfazema,seguindo aqui obrigada por seguir e comentar em meu blog beijokas

    ResponderExcluir
  2. adorei o blog querida, ja estou seguindo ...
    adoorei o post querida.. bem interssante. fala sobre tudo mesmo :D
    http://byrennatamarquetto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Bem interessante o post, nunca parei pra pensar sobre a historia do perfume haha

    bjkas
    e ja estou seguindo!!

    mahmachado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, adorei seu blog... estou seguindo, viu ?

    beijos

    http://papeandocomgabi.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Claro já estou seguindo aqui,adorei o blog! *--*
    Um grande beijo e até mais!

    arianegarciat.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oláaaa
    muito obrigada por seguir o Clube teen, seguindo aqui de volta

    http://blogclubeteen.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Gostei de saber mais sobre esse assunto. Seu blog é muito interessante, Pam, amei! :)

    Beijos,
    http://www.deliriosdegarota.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá Panmella, obrigada pela visitinha no meu blog! já estou seguindo o seu!
    nossa, não sabia que a Avon era tão antiga assim rsrs
    bjoo

    Tiemi
    rosebox.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Olá flor, retribuindo a visitinha, adorei o post..
    Super seguindo, beijinhos


    http://cantinhodaadrib.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Nossa,que estranho né? rs


    conectadas2.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. nossa que historia longuinha em rsrsrs, não sabia dessas coisas todas, agora to sabendo. obrg

    beijos,
    http://debysabetudo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Adorei o post, super informativo!

    beijos
    blogagendafashion.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Que lindo seu espaço, *-* amei o blog.
    Retribuindo e seguindo.
    Beijaao'.
    http://confissoesdeangelita.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá minha querida Pam! Ah, adorei saber um pouquinho da historia do perfume aqui no Brasil, super legal!
    Mil beijos, saúde e sucesso sempre.
    laylafonseca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. nossa que bacana esse post lembro que minha tia usava um perfuminho da avon maior fedido, um pequeno rosa!!!!kkkkkk
    na epoca só tinha ele era febre por aqui

    beijinhos

    http://www.estilopropriobysir.com/2012/09/unha-com-adesivo.html

    ResponderExcluir
  16. oi flor!!! lindo o seu blog!!! obrigada por passar no meu!!!!

    beijosss!! boa semana!!!!

    ResponderExcluir
  17. Adorei o seu post, é bom saber um pouco mais sobre a historia dos perfumes aqui no Brasil rs
    bjinhos
    conversando-com-a-lua. blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Oiii querida adoreiiiiiii seu blog e seu carinho com meu blog viuu!!!
    Super obrigada e sucesso sempre!!!

    Passa lá depois tem post novo e quero demais saber sua opinião:
    http://muitamodaebeleza.blogspot.com.br

    Beijinhosss NAT ♥

    ResponderExcluir
  19. ADOREI!! Acho muito legal esses posts que resgatam o início das coisas. Muito interessante.
    Beijos

    Jéssica
    Fashion Jacket

    ResponderExcluir
  20. Adorei o post!!
    Não sabia nem a metade das coisas haha
    beijos, Renata

    ResponderExcluir
  21. Eu não conhecia essa história. Muito interessante!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  22. Muito bom o post! Um pouco de história não faz mal a ninguém, né?!
    Bjs, Thá.
    http://consumisse.blogspot.com
    @thaharaujo

    ResponderExcluir
  23. Oi flor, Obrigado pela visitinha!
    Sinta-se todas convidadas a dar uma passadinha para conferir as novidades no blog COM ESTILO!
    http://comstyle.blogspot.com.br/
    BeijiinhoO ^^)

    ResponderExcluir
  24. Adorei o post, muito legal
    agoratopronta.blogspot.com.br
    Beijos Vanessa

    ResponderExcluir
  25. Oi querida! Visitando alguns blogs amigos conheci o seu! Parabéns pelo trabalho, já estou seguindo!
    Quanto tiver um tempinho, dê uma passada no Blog Make Up Secret Box

    Amei saber a história detalhada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Oi flor, também estou te seguindo.
    adorei aqui.
    Beijos
    http://lizandramakeup.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Adorei seu blog e já estu seguindo!
    Muito interessante este post hein, gostei de conhecer a história do perfume!
    A Avon é velha pra caramba hein! rsrs

    Beijos
    http://borboletaazul-cah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. nossa, adoorei a história! muitoo interessante, né?!
    beijoos!

    ResponderExcluir
  29. Adorei fazer essa viagem pela história dos perfumes através do seu post. Sabe que adoro uma história, não é? rs.
    Bjus

    Rafa
    www.rafaelando.com

    ResponderExcluir
  30. Super interessante, parabéns pelo post mto bem feito.
    Boa semana. bj
    by: Veve Pink
    Portal Pattys

    ResponderExcluir
  31. Oieee flor!
    Adorei o post, mto legal *__*
    Bjks
    www.eaimaquiou.com

    ResponderExcluir
  32. Sempre leio o blog, mas não costumo comentar, mas dessa fez me senti na obrigação de parabenizá-la pelo post, é muito imteressante a evolução da perfumaria no nosso país. Muito bom!!!Adorei!

    ResponderExcluir
  33. Gostei de conhecer o desenvolvimento da sociedade através dos perfumes. Valeu!

    ResponderExcluir

Muito obrigada por deixar seu comentário, ele é muito importante para nós.
Obrigada!!!