História da perfumaria Brasileira Moderna


A perfumaria fina começou a tomar forma e características mais empreendedoras e próprias a partir dos anos 60, no reduto paulista e elitizado, com o lançamento de fragrâncias icônicas como a Rastro (1965) e a Giovanna Baby (1974) e com o estabelecimento da Natura na Oscar Freire, que viriam de empresários relacionados, respectivamente, ao mundo da decoração, da moda e da farmacêutica. A produção permanecia artesanal, mas o boom seria mais massivo nos anos posteriores. As fragrâncias foram um sucesso de público e, de forma consistente, eles ainda perduram no imaginário coletivo sobre participantes da História das fragrâncias Brasileiras. A partir de empreendedores como Aparício Basílio da Silva da Rastro, é perceptível que, pela primeira vez, a perfumaria Brasileira tinha uma voz que a relacionaria a um contexto mais fashion e de prestígio, principalmente considerando que a moda e a indústria do luxo, em geral, está intimamente relacionada à evolução da perfumaria global.
Pode-se dizer que a perfumaria local com qualidade e inovação feita por Brasileiros só foi possível a partir do empreendedorismo de fundadores visionários como Antônio Luiz da Cunha Seabra (Natura, 1969), Elizabeth Pimenta (Água de Cheiro, 1976), Miguel Krigsner ( O Boticário, 1977), Marlene e Leopoldo Mesquita (L’acqua di Fiori, 1980), dentre outros que fizeram a diferença na Perfumaria Brasileira e se tornaram empresas sólidas e na ativa até a contemporaneidade.
A Natura criou um conceito de bem estar com biodiversidade e sustentabilidade, intimamente conectada com o ser humano, a natureza e seus princípios ativos. O Boticário agregou uma imagem de perfumaria internacional, investindo em matérias primas inovadoras e design que a colocou em um patamar global sem se distanciar da essência e da identidade de fazer perfumes locais, com o frescor do povo Brasileiro, exemplo disso é o seu primeiro clássico, Acqua Fresca, lançado em 1979.
Empresas como Água de Cheiro, L’acqua di Fiori e O Boticário também trouxeram uma evolução na distribuição e vendas de perfumes no país, adotando sistemas de franquias que democratizariam mais o acesso à perfumaria que ainda estava restrita ou ao varejo de empresas como Mesbla, Mappin e Sears, ou às vendas diretas. Nesse cenário, se destacariam o sedutor Absinto, da Água de Cheiro, uma febre entre jovens emancipados e adultos da época e o Musk Almíscar da Cabeça Feita, considerada uma marca alternativa e cool. Entre os importados, chegariam ao país os densos perfumes internacionais dos anos 80, chipres e orientais sedutores como Coco Chanel, Dior Poison, CK Obsession e Guerlain Samsara.

Os anos 90 marcariam a recuperação da Economia do Brasil e facilitaria o crescimento da indústria, com a valorização do real, a abertura às importações e o desejo por grandes clássicos internacionais que teriam grande aceitação como CK One ou Thierry Mugler Angel. Havia uma liberdade olfativa no país, que se abria para as novidades da perfumaria internacional, de aquáticos a orientais e gourmands, e da nacional que se tornara mais acessível à classe média. Com maior prosperidade e incentivos econômicos, assim como para competir com a globalização da perfumaria, as empresas locais lançariam fragrâncias icônicas como Natura Shiraz, Biografia, Kriska e Kaiak; Boticário Thaty, Floratta e Quasar, L’acqua di Fiori Inizzio e Ozone, entre outras que agradariam muitos seguidores e fariam a memória perfumada de suas empresas. 


Nos anos 2000, Natura se destacaria com a criação da Linha Ekos, uma marca com exemplar conceito de gestão autosustentável na perfumaria e novas empresas locais surgiriam no decorrer dos anos como a Contém 1 g (1994), a Jequiti, do Grupo Silvio Santos (2006) e Eudora, do Grupo Boticário (2011), oxigenando a perfumaria com novas marcas e produtos e acirrando a concorrência nas vendas diretas, ávidos por altos níveis de excelência na qualidade e na inovação. De acordo com a Abihpec (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), em 2009 o Brasil já tinha alcançado um market share de 13,6% nesse mercado, avançado um crescimento de cerca de 12% em relação a 2008.

No geral, empresas como Natura e Boticário se estabeleceram em operações internacionais. Canais de distribuição de venda direta e franquia se consolidaram, com maior cobertura geográfica, força de vendas e geração de empregos.
Enfim, é possível perceber que, apesar de todas as particularidades e dificuldades do mercado interno, o Brasil é, por excelência, um país perfumado na liderança global. Ele é potencialmente diferencial para receber uma miscelânea de tipos de perfumes que vão desde fragrâncias frescas, cítricas e fougère, a fragrâncias florais, frutais gourmand, amadeiradas e orientais. Isso se dá porque o Brasileiro é bem aberto à diversidade aromática. Ele herdou durante esses anos de História um gosto bastante diversificado de usar fragrâncias frescas, mas igualmente envolventes e sedutoras que elevem sua autoestima e atração sobre o outro, assim, o país se eleva a uma categoria de países únicos que têm o contínuo potencial de crescer economicamente no setor, abraçar variadas nuances olfativas e continuar fazendo a História da Perfumaria, com os cheiros do Brasil e do mundo.

Fonte: Enciclopédia do perfume: http://www.osmoz.com.br

13 comentários:

  1. Amei o post. Amei mesmo, muito bom! *-*


    WWW.ANNECRISLEY.BLOGSPOT.COM

    ResponderExcluir
  2. Bem bacana esse post!
    Várias coisas que eu nao sabia.

    Beijinhos!!!!

    www.estilodalola.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Adorei o post! Não sabia de muitas coisas.

    Beijinhos ;*
    fashionableword.blogspot.com

    PS: Ainda dá tempo para participar do sorteio! Passa lá e se inscreva!

    ResponderExcluir
  4. O óleo Seve é um clássico, amei saber da história da perfumaria no Brasil.
    http://www.closetdetendencia.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá Letícia eu tava zapeando aqui e achei você!!
    Eu adorei o seu blog muito estiloso
    to seguindo aqui pra não perder de vista!
    da uma passadinha lá no meu mundinho pra você conhecer também !
    http://jujuzinhareis.blogspot.com.br
    ;)

    ResponderExcluir
  6. que legal
    agoratopronta.blogspot.com.br
    Beijos Vanessa

    ResponderExcluir
  7. Adoreeei o post! Seu Blog é lindo :)
    Quero te convidar a participar do primeiro sorteio que ta rolando lá no meu Blog...
    Os itens são inspirados na trend CANDY COLORS!
    Confira tudinho:

    http://blogfashiontips.blogspot.com.br/2012/09/primeiro-sorteio-do-blog-itens-candy.html

    Você vai adorar!
    Bj Bj <3 <3

    ResponderExcluir
  8. Eu tenho uns 10 perfumes diferentes da Natura e 2 do O Boticário. Sou apaixonada por todos!! Sem contar o Sève que é minha paixão e os hidratantes. Adoro as duas empresas.

    Beijos

    Jéssica
    Fashion Jacket

    ResponderExcluir
  9. Amei a postagem!
    Parabéns flor, seu blog é super lindo, muito sucesso pra você, tudo de bom!
    Te seguir, me retribuii:
    carolinedaniele.blogspot.com.br
    Cheiiros :D

    ResponderExcluir
  10. Que bacana esse post, Panmella. Adorei conhecer a história, e rever esses perfumes que já foram meus queridinhos;)
    Beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  11. amiga,que legal.eu nem sabia de nada disso.serio mesmo.vc arrasou.

    Loucas Por Pink (◕‿◕✿) )

    http://renatinhaloucaporpink.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Adorei o post, parabéns por ele!
    É sempre bom aprender mais e enriquecer nossa cultura.


    Bjusss...
    Blogs Alma Ruiva e Prato Saudável.

    ResponderExcluir
  13. Oiie vim aquii retribuir a visitinha...
    Obrigada...
    To adorando seu blog...
    adoro NATURA EKOS...
    Beijinhos...
    http://perfect-true.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Muito obrigada por deixar seu comentário, ele é muito importante para nós.
Obrigada!!!